Cigarro potencializa risco de parto prematuro

Mulheres grávidas que fumam levam as substâncias tóxicas do cigarro para o seu bebê por meio do cordão umbilical.

Falar dos malefícios do fumo já não é mais novidade para ninguém. O pior é que ainda tem gente que insiste em acender cigarro. O mais cruel, então, é ver uma gestante fumando. Não há desculpa que cole para explicar essa barbaridade. Mulheres que fumam durante a gravidez têm maiores riscos de ter um parto prematuro.

Não é só isso. O cigarro potencializa o risco de abortamentos, diminuição do fluxo sanguíneo para o bebê (recebendo menos nutrientes e oxigênio), baixo peso ao nascer e complicações respiratórias, já que os pulmões se desenvolvem menos.

Mulheres grávidas que fumam levam as substâncias tóxicas do cigarro para o seu bebê por meio do cordão umbilical.

O que acontece normalmente é que quando a mamãe se descobre grávida o cigarro ainda faz parte da sua vida. Nessa fase de largar temporariamente o cigarro surge uma dúvida: quanto o cigarro pôde ter prejudicado o desenvolvimento do bebê?

E essa dúvida da mamãe não é por bobagem, não.

Não é bom “brincar” com o cigarro. O ideal é parar de fumar mesmo sem que haja uma gravidez. Mas as mulheres podem ficar um pouquinho mais aliviadas. Um estudo realizado na Austrália e Nova Zelândia conclui que mulheres que param de fumar até a décima quinta semana de gestação tem os mesmos riscos de se ter um parto prematuro ou um bebê de baixo peso que as mulheres que nunca fumaram.

Autor da pesquisa, o doutor Lesley McCowan, da Universidade de Auckland, analisou 2.500 mulheres na décima quinta semana de gestação, divididas em três grupos: não fumantes, fumantes e as que pararam de fumar durante a gestação.

Não houve diferença significativa de partos prematuros entre as não fumantes e as que pararam de fumar durante o início da gestação (4%) e nem de bebês com baixo peso (10%). Já as fumantes tiveram 10% dos partos prematuros e 17% de bebês com baixo peso.

O quanto antes, melhor

Ainda é necessário que outros estudos confirmem realmente esses dados, mas já dá um alívio para as mamães que fumaram no início da gravidez sem saber que estavam grávidas ou mesmo aquelas que não conseguiram largar o vício imediatamente assim que descobriram a gravidez.

As mamães não devem pensar que,  por não prejudicar o bebê, pode fumar até a décima quinta semana. Esse é um início de um estudo que precisa de mais dados relevantes. Quanto antes o cessar do fumo, melhor para a saúde da mamãe e do bebê.

Dicas

Já é comprovado que o fumo traz riscos para a gravidez e bebê. O cigarro aumenta a probabilidade de doenças do coração, respiratórias e câncer. Se planejar ter filhos, pare de fumar antes que engravide.

Mesmo que não queira filhos ou não deseje mais filhos, pense na possibilidade de parar com o cigarro. Fumar prejudica a sua saúde e de quem está perto.

Mesmo que não prejudique o andamento da gravidez e o desenvolvimento do bebê, as substâncias tóxicas do cigarro chegam até o feto.

Fonte: http://guiadobebe.uol.com.br/cigarro-potencializa-risco-de-parto-prematuro/

Esta entrada foi publicada em Sem categoria e marcada com a tag . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *